Total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Wiseco "Cabeças de Pistões"

Wiseco "Cabeças de Pistões"

A Wiseco iniciou a manufatura de pistões 70 anos atrás quando o seu fundador Clide Wiseman começou a fabricá-los em sua garagem. Os pistões eram destinados para o uso em motores marítimos de grandes diâmetros e como tantas empresas bem sucedidas que começaram na garagem das pessoas, de maneira que o boca a boca sobre o que ele estava fazendo se espalhou e logo ele estava fazendo pistões para amigos e seu negócio começou a crescer.. Quando a Wiseco foi oficialmente formada em 1941 ela atendeu as necessidades de competidores e entusiastas de esportes a motor e hoje, o setor de esportes a motor - predominantemente motocicletas e ATV's (quadriciclos) - compõem a maio parte do trabalho exercido pelo negócio.
O proposito de "fazer sozinho" que levou Clyde Wiseman a começar a fazer o seu próprio pistão ainda permanece na Wiseco, com a empresa tendo em suas próprias dependências equipamentos e todas as facilidades, não somente para forjar seus próprios pistões, mas para desenvolver e fazer também as ferramentas necessárias para fabricar aqueles pistões!
Esta habilidade não somente mantem os custos baixos, sem a necessidade de comprar qualquer coisa a não ser matérias primas, mas permitindo inclusive uma qualidade maior do produto. Enquanto outros fabricantes de pistões forjam um desenho de pistão e depois o adapta para atender uma quantidade de aplicações com trabalhos de usinagem, a Wiseco faz cada pistão com uma forja especifica para a aplicação escolhida.

-- Entrevista e Fotografia de Brian Marion brian@dealer-world.com -- Escrito por Duncan Moore duncan@dealer-world.com e traduzido para o português por Carlos " Skateninha" Ourique

 "Em motores de performance, o aumento da carga inercial requer um pistão forjado"
 10 DEALERWORLD - JUNE 2009

Dave Fussner, Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento na Wiseco, explica a razão por trás de ser o único fabricante de pistões do mercado de reposição e que o distingue dos demais.

"Um pistão certamente parece ser redondo olhando de fora, mas ele de fato não é. Eles tem um desenho muito especial na área de suas saias que permite uma expansão (dilatação) "irregular" sob calor, o que é causado porque o calor é concentrado no topo do pistão, e à medida que flui através, ela encontra diferentes espessuras de metal. O topo do pistão expande (dilata) mais do que a saia. Como resultado disso, os pistões precisam ser usinados especialmente para permitir isso.
" O método tradicional de usinar um pistão de maneira que permita a expansão irregular seria o "cam-griding", o qual envolve a remoção de material a fim de criar um formato "elíptico" que se torna redondo a medida que o pistão aquece e expande. Infelizmente "cam-griding" não é preciso o suficiente para as demandas dos motores de extrema alta performance, já que ele extrai montantes uniformes de metal ao curso das saias dos pistões.
Isso resulta em material sendo extraído de onde não é necessariamente ser extraído!
A solução da Wiseco para atingir o correto nível de usinagem nas corretas áreas de um pistão é a "variável cam-griding", e como tudo que é feito na Wiseco, o ferramental necessário para fazê-lo foi desenvolvido "em casa". Trabalhando com software de desenho CAD, os engenheiros na Wiseco podem ajustar as maquinas de CNC para a remoção de quantidades variável de material ao longo das saias dos pistões e a fim de criar "desenhos" que são "feitos sob medida" para cada aplicação.
Este é apenas um exemplo da tecnologia e métodos empregados na Wiseco que são cruciais para o encontro das altas expectativas e demandas da mesma, únicas entre os fabricantes de pistões de reposição dos EUA, já que somos o único a, "sozinhos", fabricar pistões forjados. E com mais de 70 anos de historia, a qualidade destes pistões é sem concorrência, e como Brian Marion descobriu Dave Fussner, Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento na Wiseco, o qual pode ser frequentemente encontrado nas feiras e exposições, explicando os benefícios dos pistões da compania.
Fonte
 Entrevista e Fotografia de Brian Marion brian@dealer-world.com - Escrito por Duncan Moore duncan@dealer-world.com e traduzido para o português por Carlos " Skateninha" Ourique
Texto original em inglês .

Tradução
Carlos "Skateninha" Ourique

domingo, 11 de maio de 2014

On Any Sunday

On Any Sunday



"Em Algum Domingo"


Dirigido por Bruce Brown
Produzido por Bruce Brown e Steve Mcqueen 
Estrelado por;
Bruce Brown (narrador)
Steve McQueen
Mert Lawwill
Malcolm Smith
Paul Carruthers
Roger DeCoster
Musica de Dominic Frontiere
Cinematografado por Robert E. Collin
Editado por Bruce Brown e Brian King 
Lançamento em 1971 
Tempo de Duração 96 min. 
Idioma: Inglês 

"On Any Sunday" e um documentário Americano de 1971 sobre o esporte de motociclismo, dirigido por Bruce Brown. Ele foi indicado para o prêmio da Academia por filme de Documentário.

O documentário segue a vida de pilotos de motociclismo e fans de corridas. Brown tentou tentou mostrar os talentos únicos necessários para as diferentes modalidades de corridas. Por sua vez, os pilotos de motocross eram tipos típicos de "espirito livre", enquanto os pilotos de deserto (enduro) eram freqüentemente solitários. Nas corridas do Grande Campeonato Nacional ( Grand National) Brown mostrou as diferentes personalidades, como as abordagens para corridas do tipo "business" apresentada por Mert Lawwill versus a abordagem de corrida "despreocupada" que o jovem David Aldana tornou-se conhecido por.  

Steve Mcqueen se apresenta no filme, juntamente com Mert Lawwill, Malcolm Smith (vejam só) e muitos outros pilotos de motocross do final de 1960 e inicio dos anos 70.





A partir de uma perspectiva histórica, as motocicletas apresentadas no filme incluem Triumph, Husqvarna, Harley-Davidson, Honda, Yamaha, Suzuki e outros fabricantes que ainda estão no negocio ou que se foram pelo caminho como BSA, Bultaco e Hodaka.

O filme foi financeiramente bancado por Steve McQueen(3) através de sua compania "Solar Productions", recebendo credito nos segundos finais do filme.

O método de filmagem de Bruce Brown : "As vezes eu teria uma cena em mente. Por exemplo, eu queria fazer a tomada de uma corrida na lama e mostrar os pilotos cheios de lama. Primeiro você tem que ser um piloto de motocross quando chove, então você tem que achar um bom local para fazer a tomada. Nos tentamos e tentamos ter uma tomada com o piloto parecendo um "bolo" de lama. Nos finalmente conseguimos a tomada, mas por um tempo parecia que nos nunca faríamos." 


Algumas das mais dramáticas tomadas do filme foram as tiradas de câmeras
lentas extremamente próximas(closeup), das corridas do "Grand National".
Desde os seus dias de filmes de surfe, Brown estava acostumado a a usar super lentes telefotográficas. O orçamento (budget) não permitia o despendido com câmeras de alta velocidade, então Brown improvisava usando baterias de 24 volts nas câmeras de 12 volts. O resultado era o improviso de câmeras de alta velocidade. Brown também usou um capacete-câmera em alguns pilotos, uma das primeiras vezes que algo como isso foi tentado. Isso foi antes dos dias das câmeras de miniatura e a montagem era frequentemente como que algo um tanto quanto "volumoso" nos capacetes dos pilotos. 

Em um momento, Bruce Brown achou um local perfeito para uma tomada de por do sol na praia - Base Naval de Pendleton (Marine Corps Base Camp Pendetlon)
"Eu entendi que não haveria como conseguir uma autorização para filmar na Base Naval," Brown se lembra. "Steve McQueen disse que iria ver o que ele poderia encontrar. No próximo dia ele chamou e disse para contatar "algum" General e que a próxima coisa que se soube e que estávamos filmando as sequencias da praia. Foi mesmo incrível as portas que ele foi capaz de abrir. Este visual na praia e usado nas cenas finais do filme com Brown tendo MacQueen, Lawwill, e Smith pilotando no por do sol. 

"On Any Sunday" e frequentemente creditado como o melhor e/ou mais importante documentário motociclístico ja feito. Roger Ebert diz "faz para as corridas de motocicleta o que "The Endless Summer fez para o surfe". Ebert enaltece o alto nível de arte do filme em complemento a impressionante metragem de corridas de motocicleta (o que ele diz são difíceis de filmar), e ele também credita o filme por não incomodar os espectadores com detalhes técnicos de como o filme foi feito. 

Durante a seqüência de abertura, crianças são vistas guiando suas bicicletas em uma pista de terra, em imitação aos motociclistas. Graças a esta cena, "On Any Sunday" pensa ter popularizado a modalidade ciclística "BMX" (bicicross) através da America; antes disso ela somente havia sido observado no sul da Califórnia. 

"Eu acredito que muita gente mudou suas mentes sobre o motociclismo após ter assistido o filme," disse Brown . "Uma historia particularmente divertida foi contada por Mert Lawwill. Sendo um piloto de motociclismo ele tipo que considerado a Ovelha Negra da família. A velha matriarca da família, a avo de Lawwill, foi assistir o filme e no meio de uma das cenas exibidas por Lawwill, ela levantou-se e gritou, 'Aquele e o meu neto!' De repente ele era o grande herói da família,"

Malcolm Smith (motociclista), o qual era inclusive o maior foco do filme, credita ao "On Any Sunday" por ter dado a ele o reconhecimento mundial que permitiu a ele se tornar o empresário líder no mercado de motociclsmo off-road.

Varias versões (follow-ups) do filme foram produzidas:

On Any Sunday II, 1981, estrelando Bob Hannah and Larry Huffman
On Any Sunday: Revisitado, 2000, by Dana Brown
On Any Sunday: Motocross, Malcolm, & Mais 2001 

Fonte/Referencias
http://en.wikipedia.org/wiki/On_Any_Sunday

Tradução
Carlos "Skateninha" Ourique

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Chanfros nas Janelas de Cilindro de Motores de 2 Tempos

A execução de "chanfros" (quebra dos cantos vivos) nas janelas de cilindros de motores de 2 Tempos em muitas vezes e negligenciada quando dos procedimentos de retifica e mesmo pela falha na inspeção antes da montagem por parte dos técnicos mecânicos dos respectivos motores, sendo algo que nos preocupa e que nos impele a compartilhar convosco e cooperar com o mercado com informações e serviços que venham a evitar prejuízos financeiros, de tempo ee desperdício de materiais (produtos acabados).

Ocorre que após a usinagem (retifica) dos cilindros de 2 Tempos para um "desejável", novo e perfeito ajuste entre pistão/anéis e as camisas de cilindros, estas vêm a ficar comprometidas por cantos vivos em suas janelas (admissão, transferências e escape) e formados pelo processo de usinagem em si com "sobras/acumulo" de metal, demandando portanto, a máxima atenção no sentido de se executar os procedimentos de chanfros das mesmas e garantir assim, um perfeito funcionamento e assentamento entre as partes, sendo este quesito, critico, no que diz respeito a performance e "vida útil" do motor, sem mencionar "performance"!

Na falha em se executar os referidos "chanfros" das janelas, e quando do funcionamento do motor, os anéis e suas estruturas são comprometidos com desgaste prematuro e "irregular" (tornam-se como laminas) com consequentes desgastes e danos gerais às respectivas camisas e com posteriores riscos de adentrarem e "engriparem" nas, então, "desgastadas" janelas.

Para a sua referência, observe através dos links abaixo, vídeos da "CC Specialty", lider em equipamentos para preparação/retrabalho dos diagramas dos cilindros de 2 Tempos, em que é apresentado técnicas, equipamentos e suas respectivas ferramentas, ideais para o correto procedimento de chanfros das janelas.

Videos

"Correto Ângulo das Ferramentas de Retrabalho para Transferências de 2 Tempos"

Video 1

Video 2

"Como Executar os Chanfros em Cilindros de 2 Tempos após Retífica"

Video 3

"Chanfros Curtos"

Video 4

Sem dúvida, para os procedimentos de acabamento das janelas, é imprescindível a utilização de equipamentos e ferramentas, como os cito e que irão garantir a execução dos desejáveis, perfeitos serviços para os profissionais ou mesmo amadores que buscam tal objetivo! Entretanto, a falta de equipamentos/ferramental adequado/especifico não "pode" ser impedimento quando a "informação" nos torna conscientes da realidade e necessidade de se fazer o que "tem que se feito"! Apenas torna-os, com certeza, um pouco mais difícil/complicado.....

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Motores de Arranque de Jet-Ski





FIGURA 4- BENDIX
FIGURA 9- INDUZIDO
FIGURA 11- CARCAÇA C/IMÃS


FIGURA 1- MOTOR DE ARRANQUE


FIGURA 11- CARCAÇA COM IMÃS
FIGURA 12- SUPORTE ESCOVA
FIGURA 14 - ESCOVA


O que é um Motor de Arranque?

"Um Motor de Arranque (também Motor de Partida) é um motor elétrico que "gira" um motor a combustão a fim de causar o início de seu auto funcionamento ou "Um Motor de Arranque é um motor elétrico necessário para girar o motor para o seu funcionamento".

Quando a corrente a partir da bateria do veículo é aplicada ao solenóide (relê de partida, o que ocorre geralmente através do "switch" (interruptor) de ignição, o motor de arranque “empurra” o "bendix" (impulsor de partida) através de seu eixo, engrenando-o com a "gremalheira" (engrenagem) externa do volante de ignição do motor, ou “volante de ignição”. Neste ponto, o circuito é fechado entre os contatos principais do solenóide e o motor de arranque "elétrico" começa a funcionar e a girar o motor "a combustão" para funcionamento...

Existem diferentes tipos de Motores de Arranque, entretanto os Motores de Arranque de Jet-Ski SKT são do tipo PMDD”- Permanent Magnet - Direct Drive

Saiba mais;

Alguns problemas relacionados com o mau funcionamento de Motores de Arranque, Relê de Partida e Bendix de Jet-Ski

“Ra-ta-ta-ta“ do Relê
O Motor de arranque faz um som "RA-TA-TA-TA" parecido com o de uma metralhadora. Existem duas possíveis causas para isso. Primeiramente uma bateria descarregada ou simplesmente morta, resultando no Relê de Partida tendo potência o suficiente para acionar, mas não o suficiente para se "manter" lá!
Então o Relê repetitivamente retrai e solta novamente resultando no som de metralhadora pura.
Segundo; o problema pode não ser o Relê. Pode ser que a Bobina secundária esteja queimada ou algum fio solto ou quebrado na mesma, resultando no acionamento do Relê, mas na incapacidade do mesmo em se manter lá.

Relê de Partida “queimado”:
Se um Motor de Arranque está “retornando” e o Relê de Partida (solenoid) “cheira” como queimado, é normal que fatores externos resultem neste tipo de dano ao Relê de Partida. Uma bateria descarregada, longos períodos de tentativa de girar o virabrequim e ligar o motor, ou uma falha no switch de ignição são causas normais que levam um Relê a queimar.

Bendix de Partida “girando em falso”:
Em geral, o Bendix girará em falso quando os rolamentos que normalmente travam o eixo da engrenagem na carcaça da “embreagem” do Bendix estão gastos por tempo de uso. Isso resulta no Bendix não sendo capaz de travar a engrenagem no lugar e girar o motor quando ele engata, pois aquela gira em falso.
Existem quatro outras causas, ainda que em cenários muito raros, onde o “Bendix” pode parecer estar “girando em falso ou patinando.

I.                    Ainda que muito incomum, é bom saber que, se um Motor de Arranque tem o sentido horário e por equivoco um Bendix “anti-horário” foi instalado, isso também resultará no Bendix dando a      
impressão de estar girando em falso. Entretanto, isso ocorre normalmente com engrenagens e
induzidos com ranhuras retas.
II.                  Se as bobinas de campo ou “Suporte Escovas” não estiverem instalados/conectados corretos ou se um modelo errado de Induzido está instalado, isso pode também mudar a direção em que o Motor de Arranque gira e poderia resultar no Bendix girar em falso já que o “Motor” está girando na direção oposta daquela que deveria ser a correta.
III.                O volante de ignição também poderia estar solto. Neste caso, o Bendix giraria o volante, mas pelo fato do volante estar solto, ele não giraria o motor. Isso poderia de fato parecer que o Bendix estivesse girando em falso, mas não está, sendo o volante solto a causa.
IV.                E por último, se as ranhuras da engrenagem do Bendix e/ou induzido estiverem desgastados, esta poderia ser a causa do Bendix girar em falso.

Atenção!
Quando manusear um Motor de Arranque de Jet-Ski, nunca deixe-o cair, ou receber qualquer tipo de choque, inclusive com ferramentas de nenhum tipo, evitando-se assim possíveis danos nas peças internas do motor de arranque como; carcaça, imãs e/ou outras.
Por favor, lembre-se de que as informações fornecidas acima são bem generalizadas e
Tendo um melhor entendimento dos fundamentos permite-se que a lógica seja aplicada para quase toda situação ou desafio. Voltando ao básico e olhando de uma posição de entendimento geral e conhecimento prático, normalmente permite-se que sejam tomadas decisões bem calculadas e seguras.
Esperamos que estas informações sejam de valor para você ou mesmo um pouco interessantes e que você tenha aprendido algo que possa lhe ser útil no seu dia a dia.

Divirta-se!


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Video Super Kit Wiseco-Skatena Honda CRF240F




Assista a este video!

A "loira", pilotando uma Honda CRF230F equipada com o Super Kit Wiseco-Skatena Big Bore CRF240F, tá tirando um barato do cara que tomou um belo "pau"!

Instalação de Travas de Pino de Pistão Wiseco-Skatena

Instalação de Travas de Pino de Pistão Wiseco-Skatena

A instalação de Travas de Pino de Pistão é parte "crítica" do processo "mecânico" de montagem  dos pistões, mas um tanto quanto simples e "seguro" se você seguir atentamente os passos e em sua ordem como apresentamos no vídeo a seguir;





Vídeo de instalação de travas.

Passo nº 1


Verificação das partes e peças que compõem um pistão Wiseco. 


A primeira coisa que se deve fazer quando se obtém um pistão é retirar as peças e partes da embalagem para uma verificação.  

Quando você adquire um Pistão de Alumínio Forjado de Alta Performance Wiseco, você obtém;

- Pistão
- Anéis
- Pino 
- Travas e é claro, 
- Manual de Instalação

Passo nº 2

Instalação das Travas do Pino de Pistão


Nós vamos começar a instalação da primeira trava o que pode ser feito na bancada e não que dizer que "tem" que ser feito "no motor".

Você deve posicionar a trava com sua abertura para cima ou para baixo. Nós preferimos fazê-lo para cima.

Normalmente você poderá começar utilizando os seus dedos e posicionando uma ponta da trava dentro da canaleta e empurrando-a com os dedos para dentro o máximo que puder e quase até o fundo e finalizando com uma ponta  para dentro da canaleta.

Gire um pouco a trava e certifique-se de que a mesma esteja "segura" dentro da canaleta em toda a sua circunferência.

Atenção!!

Um dos importantes pontos que você deve ter em mente quando ao instalar uma trava de pino de pistão é não machucar a parte interna do pistão ou utilizar ferramentas que possam danificar as travas, o pistão ou fazer rasgos na canaleta. 

Outro ponto é o cuidado para não provocar um "stress" ou mesmo alterar a "tensão" da trava, forçando-a ou "pressionando-a" demais ou utilizando uma ferramenta na instalação. Quando você altera a tensão de uma trava você corre o risco Nós sempre evitamos a utilização de chave de fenda.

Para maiores informações ou perguntas, você pode sempre acessar www.sktpro.com ou nos contatar no Brasil através de; www.skatena.com

Bom trabalho e sucesso!

Carlos "Skateninha" Ourique

sábado, 1 de dezembro de 2012

Folga Entre Pontas de Anéis de Segmento-Instalação de Anéis - Cinta Wiseco de Instalação de Pistão


Verifique a Folga Apropriada Entre as Pontas dos Anéis de Segmento de Pistão
A falha em “certificar-se” da aplicação da folga apropriada entre as pontas dos anéis, deve causar o “encontro” das mesmas e um dano ao motor pode ocorrer.
1- Em algumas aplicações, uma “placa de torque” (dispositivo que simula a função de aperto do cabeçote) deve ser montada ao cilindro ou bloco e “apertada” de acordo com as especificações do fabricante do equipamento.
2- Verifique a folga entre as pontas instalando “o anel” dentro do cilindro. O diâmetro do cilindro deve estar livre de qualquer conicidade. Utilize o pistão para ajustar o anel no diâmetro do cilindro e verifique a folga entre as pontas usando um “calibre de lâminas”
3- Observe a tabela abaixo para a folga apropriada entre as pontas dos anéis para a sua aplicação específica.
4- “O anel” de controle de óleo deve ser instalado sem ter a sua folga entre pontas modificada. A folga entre as pontas dos anéis deve ser de, no mínimo, .010” (polegada) ou 0.254mm.
Instruções de Folga entre as Pontas dos Anéis
1- Multiplique o número de seu diâmetro seguindo a coluna “Diâmetro X” para a sua aplicação a fim de determinar a folga entre as pontas dos anéis.
Exemplo: para o anel superior de pistão de jet-Ski com um diâmetro de 82.00mm, multiplique 82,00 por .004 = 0.33mm
2- A folga entre as pontas no Segundo anel deve ser sempre maior do que a folga do primeiro anel (superior) , isto irá ajudar a evitar a vibração ou “levantamento” do anel.

                                                      ESMERIL DE ANEL ELÉTRICO


                                          
                                          ESTILO DE LIXADOR MANUAL DE ANÉIS





Foto aumentada de um procedimento incorreto de lixar a ponta de anel. Por favor, tome cuidado extremo quando lixar manualmente, é possível lascar/descascar o material do anel.


CORRETO
INCORRETO


Instalação dos Anéis
  1. Mola” de Anel de Controle de Óleo: Insira a “Mola” de Anel de Óleo na Canaleta com as Pontas da Mola a 90 graus de cada orifício do Pino do Pistão. Tenha a Certeza de que as Pontas da Mola estejam Visivel e corretamente “encontradas” (veja ilustração 1). Se as Pontas da Mola estiverem Sobrepostas, o Motor Irá “Fumar” Devido ao Excesso de Óleo e Dano ao Motor Poderá Ocorrer.
  2. Aros de Anel de Controle de óleo: Os Aros de Anel de Controle de Óleo Podem ser Montados com Qualquer Lado para Cima. Utilizando a “Mola”, Instale os Aros Dentro da Canaleta Instalando o Primeiro Aro embaixo da Mola e o Segundo em Cima da Mola. As Pontas dos Aros Devem Estar Localizadas a 180 Graus Distante das Pontas de Cada Aro e Diretamente Sobre Cada Orifício do Pino do Pistão. Após a Instalação dos Aros, Verifique Duplamente a fim de Garantir que as Pontas da Mola Estão se Encontrando Apropriadamente.
  3. Segundo Anel: Instale o Segundo Anel com as suas Marcas Voltadas para Cima.
  4. Anel Superior: Instale o Anel Superior com as Marcas voltadas para Cima. Caso o Anel não Tenha Marcas Próximo à sua Ponta, então Qualquer um dos Lados Pode estar para Cima.



                                                                             



                         SOBREPOSIÇÃO “INCORRETA” DAS PONTAS DO ANEL DE ÓLEO

                                           

                                                 ENCONTRO CORRETO DAS PONTAS




Cinta Wiseco de Instalação de Pistão em Cilindro 




                           
                                             Diâmetros para aplicação específica

Alumínio forjado com tratamento "Armor Glide" para fácil deslizamento do pistão/anéis
Ferramenta imprescindível na instalação de anéis de controle de óleo a fim de evitar danos ao cilindro, anéis e pistão




                                                 Expansor de Anéis de Segmento





                                       Para a Instalação de Anéis de Segmento no Pistão

www.sktpro.com
skt.pro@hotmail.com